Novidades

Coronavírus: entenda a doença

O novo Coronavírus foi descoberto no final de dezembro após primeiros casos registrado na cidade chinesa de Wuhan, capital da província de Hubei.

10 de agosto

Esse novo agente provoca a doença chamada de COVID-19.

Este, é uma nova variante do vírus que até então não era identificada em humanos, sendo que existiam apenas seis cepas conhecidas capaz de infectar humanos, incluindo o SARS-Cov e MERS-Cov.
 
A contaminação é feita por gotículas respiratórias ou no contato com alguém já contaminado. O contato a cerca de 1 metro de distância com alguém infectado já causa risco para adquirir a doença. 
 
Alguns exemplos de formas de contaminação podem ser exemplificados, como: 
 
- Gotículas de saliva;
- Espirro;
- Tosse;
- Catarro;
- Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
- Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.
 
Identificação da doença
 
Semelhante ao resfriado só que muito mais grave, a doença provoca manifestações respiratórias e pode também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias.
 
Os principais sintomas conhecidos até o momento são:
- Febre alta;
- Dificuldade para respirar;
- Tosse seca;
- Perda do olfato e paladar.
 
Como a doença é nova não há vacinas até o momento, ou seja, não existe um tratamento específico para infecções causadas pelo novo Coronavírus em humanos. Recomenda-se repouso, consumo de bastante água, excelente alimentação e o isolamento social.
 
Caso a pessoa sinta os sintomas mais agravados, é necessário o acompanhamento médico. Em situações mais graves ainda, o paciente é incubado, devido a dificuldade para respirar.
 
O período médio de incubação pelo novo Coronavírus é de 5 dias, com intervalos que chegam até 14 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.
 
Os casos graves devem ser encaminhados a um hospital de referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.
 
Formas de prevenção
 
Como forma de prevenção, o Ministério da Saúde orienta alguns cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir a doença. 
 
Entre as medidas estão:
 
- Lavar bem as mãos e frequentemente, com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização;
- Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool 70%;
- Evitar tocar os olhos, nariz e boca com as mãos;
- Evitar contato próximo com qualquer pessoa;
- Ficar em casa quando estiver doente;
- Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
- Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência;
- Evitar aglomerações.
 
Contamos com a sua colaboração nessa causa. Somente juntos, com muita fé, esperança e atitudes certas venceremos mais esta luta! 
Voltar